Caminho para cincundar

Publicado: 07/11/2011 em Uncategorized

.

É como a chuva caindo do céu no chão. Chuva que cai sem parar. Foi o que pensei ao ouvir o som da caminhada. Quatrocentos pés pisando esse cascalho de telhas alaranjadas. Os sapatos sobre as telhas e o atrito a criar esse som de chuva que eu ouvi. Pela primeira vez na vida me senti uma gota d’água sonora. Não ouvi minha respiração, não ouvi meu coração batendo, não ouvi vozes, não ouvi nada além dos passos de chuva. Acho que nem eu, nem ninguém, respirava. Acho bem que houve uma parada cardíaca coletiva. E ninguém falava porque eu e esses com quem ando descobrimos juntos que não havia palavras apropriadas para aquele momento.

Nós circundamos nesse caminho de passo lento – chuvisco de fim de tarde – um Ponto. Éramos pontinhos de um grande círculo, atados pela alma ao raio, todos iguais. Às vezes um de nós parava para respirar, e aí sabíamos que ainda estávamos vivos. Outras vezes alguém parava porque não podia mais andar, e aí sabíamos que estávamos perto da morte. Viver e morrer para ter a chance de circundar nesse caminho. Ver a vida como essa força que atrai ao centro sem que o mundo nos tome pela tangente.

E então paramos. A chuva de som se aquieta. Silêncio. Não há passo, nem pulso, nem suspiro, só há suspensão. As portas se abrem. E volta a chover. Chove dos olhos. Minhas pupilas são nuvens negras. Carregadas com emoção de trovões e relâmpagos. E todo esse meu céu desaba na terra de uma só vez. Inunda planícies, enche os vales. Rapela montanhas, escorre por escarpas. Leva tudo o que vê pela frente, destrói o mundo que se tem dentro de si. Eis o dilúvio.

Com a canoinha da náufraga alma, adentro o Recinto.
Rema-se o corpo com o que sobrou de si. Vai-se ao Limiar. Acabam-se as forças. Afoga-se o resto.

Anúncios
comentários
  1. […] + lidos Na tela do aviãoCaminho para cincundarExílioPequeno universoVésperaInocênciaSem vocêPai postiçoDia 1Homem magro sofreCéu de nuvemA […]

  2. LINDO texto, André….. senti-me em peregrinação, ao seu lado!!!! Muito obrigado!

  3. Humberto Vital disse:

    Que belezura, o texto, o estilo, a suavidade, tudo, tudo regado a muito espírito, no ponto de onde orbita a vitalidade pro mundo. Quê dizer?! Que seja o que se sente, se pensa ou cogita.

    • André Kano disse:

      Eu espero que essas palavras sirvam para me lembrar, e a quem assim desejar, do espírito com que foram escritas e, especialmente, do Lugar de onde elas retiraram sua inspiração. Esse Lugar permanecerá sendo a maior beleza que esse texto pode ter.

  4. Shirley disse:

    ” E ninguém falava porque eu e esses com quem ando descobrimos juntos que não havia palavras apropriadas para aquele momento.” Lindo texto.

  5. Zoraida disse:

    André você traduziu em palavras o que a alma revela naquele Sagrado momento. Obrigada, me senti circulando o Santuário. Saudades

o que você pensa sobre?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s